Projeto propõe avaliação participativa de escolas do ensino médio junto a jovens, professores e outros atores da comunidade escolar

Indiques_ensino_medio

Como deve ser avaliado o ensino médio do Brasil? Em meio a discussões predominantes nos noticiários no país a respeito do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), foi lançado nos últimos dias 17 e 18 de agosto, em Brasília, uma proposta que busca realizar uma avaliação participativa dessa etapa educacional.

Indo além dos resultados obtidos por estudantes em exames de larga escala como o Enem, a iniciativa faz parte do Projeto Indicadores da Qualidade na Educação – Ensino Médio e propõe envolver estudantes, mães, pais, professores e toda a comunidade local em discussões sobre qualidade na educação.

Realizada pela ONG Ação Educativa e Unicef em parceria com Ministério da Educação, Secretaria Nacional de Juventude e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, os Indicadores para o ensino médio propõem uma metodologia de avaliação participativa e de mobilização da comunidade para discussão de suas necessidades e elaboração de planos de ação que estimulem a melhoria das condições de funcionamento da escola e da aprendizagem dos estudantes.

“A primeira fase do projeto iniciada neste ano tem como objetivo construir uma primeira versão de dimensões e indicadores, a serem testados, numa fase posterior e em caráter experimental, em escolas de ensino médio em todo o país”, explica o assessor da Ação Educativa, Luis Felipe Serrao.DSC01147

No dia 17 de agosto foi realizada uma troca de experiências entre jovens e alunos com o objetivo de responder a pergunta “Quais são os desafios da escola de Ensino Médio?”, além da palestra da professora Vanda Ribeiro que tratou sobre o tema “O processo de construção de dimensões e indicadores de qualidade na educação: experiências e perspectivas para pensar a avaliação institucional de escolas de ensino médio”.

Nesse momento, foram discutidas as especificidades do ensino médio brasileiro e a importância de adolescentes, jovens e profissionais da educação participarem das discussões e das formulações de políticas para essa etapa de ensino. “Conseguimos discutir, também, a partir de um olhar sobre as diversidades e as desigualdades no que se refere a raça, cor, gênero, classe e território; a possibilidade de um modelo de educação que globalize distintas trajetórias”, descreveu a coordenadora da área de educação da Ação Educativa, Denise Carreira. Nesse primeiro dia, também, foram abordadas questões como infraestrutura escolar e as possibilidades oferecidas pelas escolas para auxiliar os jovens quanto a seus projetos futuros.

Já o dia 18 de agosto foi reservado para a discussão sobre as próximas fases do Projeto e para a elaboração efetiva dos indicadores. “Em um momento em que os debates públicos estão bastante atentos ao Ensino Médio, os Indicadores da Qualidade na Educação têm a potencialidade de mobilizar os atores da comunidade escolar e local para se engajar nas discussões a partir das suas experiências e realidades”, enfatizou a coordenadora da área de Juventude da Ação Educativa, Maria Virgínia (Magi) de Freitas.

 

Indicadores do Ensino Médio

A coordenação do Projeto Indicadores da Qualidade na Educação – Ensino Médio é realizada pela Ação Educativa em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), UNICEF, Ministério da Educação (MEC) e Secretaria Nacional da Juventude.

A coleção dos Indicadores da Qualidade na Educação é uma proposta metodológica de autoavaliação participativa de instituições educacionais e já conta com volumes específicos para a educação infantil e o ensino fundamental, além de um inteiramente dedicado às relações raciais na escola.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário